segunda-feira, julho 04, 2011

CAIPIRAS SUBSTITUEM ROQUEIROS NAS OCORRÊNCIAS

Rangel (à direita), da dupla com Ronny, foi preso por dirigir embriagado.
Os roqueiros, que eram figurinha marcada nas manchetes policiais dos anos 80, agora estão dando lugar para os cantores sertanejos. Só de maio até agora, foram três casos. Depois de Marrone, que está sendo investigado pela suspeita de pilotar sem licença um helicóptero que caiu, e da dupla Dudu di Valença & Rodrigo, que foi presa por roubar joalherias, mais um cantor se envolveu em confusão. Rangel, da dupla Ronny e Rangel, foi preso na última quinta-feira por dirigir embriagado e provocar um acidente de trânsito.
Para Ronny, parceiro de Rangel, não existe uma onda de rebeldia entre os artistas do gênero, e o acidente não vai prejudicar a carreira da dupla.
— Foi uma fatalidade, um descontrole emocional. Ele já pediu desculpas pelo Facebook e recebeu apoio dos fãs. A nossa carreira seguirá em frente — diz o cantor, que até fez uma brincadeira com o acidente do parceiro: — Espero que pelo menos saia uma música boa daí.
Para Lobão, ícone do rock nacional, os incidentes em que os sertanejos se envolvem não podem ser comparados com as badernas causadas pelos roqueiros no passado:
— O rock foi feito para desafiar o sistema. Se você não tiver uma passagem pela polícia na sua biografia, então você não é roqueiro — afirma o cantor, que foi preso três vezes por porte de drogas no fim dos anos 80 e contou todas as suas experiências no livro “50 anos a mil”.
Para ele, quando os sertanejos se envolvem em confusão é por falta de semancol:
— Roqueiro faz para provocar. Já o sertanejo faz cagada mesmo. Quando o roqueiro faz, é chique. Quando o sertanejo faz, é brega. (Pedro Zuazo)

1 comentários:

lucidreira disse...

Bateu na tecla certa, a fama sobe para a cabeça, daí tudo se modifica para piorar a situação.
O que o dim dim não fizer outra coisa não faz.
Abraço